O Que Eu Penso D… Ascenção à Meia-Noite

Ficha Técnica:
Título Original – Midnight Rising
Título – Ascenção à Meia-Noite (Raça da Noite nº4)
Autora – Lara Adrian
Editora – Quinta Essência
Edição – Janeiro 2012 
ISBN – 9789898228703

Sinopse:

Impelido pela dor e pela raiva por causa de uma enorme traição, o guerreiro Rio dedicou a sua vida à guerra contra os Renegados. Não deixará nada interpor-se no seu caminho – muito menos uma mortal com poderes para expor toda a raça vampírica. Mas agora um mal antigo foi despertado e aproximam-se tempos sombrios… Para a jornalista Dylan Alexander, o que começou como a descoberta de um túmulo secular oculto acabou por se converter numa espiral de violência e segredos. Porém, nada é mais perigoso que o homem marcado e letalmente sedutor que surge das sombras para a puxar para o seu mundo de desejos sombrios e noite eterna. Ali ela não consegue resistir ao toque de Rio, mesmo enquanto revela uma ligação surpreendente ao seu próprio passado. Dylan tem então de escolher: deixar o reino noturno de Rio, ou arriscar tudo pelo homem que lhe mostrou a verdadeira paixão e os prazeres infinitos do coração.

Opinião:

Primeiro que tudo quero dizer que a capa da Quinta Essência é a melhor de todas as edições! Mais uma vez saliento que esta colecção (juntamente com muitas outras desta editora) são lindíssimas. Felizmente o conteúdo é tão lindo como o “embrulho” por isso  ainda bem que continua a julgar o livro pela capa… neste caso.
A história de Rio era muito aguardada e finalmente consegui devorá-la. Mas soube-me tão bem que a li num instante o que acabou por não me saciar. Mas, como não resisti, fui ler as sinopse dos livros todos seguintes o que acabou por me fazer ainda pior.
Penso que não referi anteriormente, mas adoro a ideia da relação entre as emoções e os dermaglifos. Lara Adrian descreve tão bem estes “acontecimentos” que estes acabam por dar um toque de cor e transmitir ainda melhor todas as emoções presentes na cena.
Acrescento que gosto bastante, também, da estrutura das obras, em que podemos encontrar alternadamente os POV’s da personagem masculina com a feminina.
Adorei também todo o jogo e mistério em volta do nome de Rio. Penso que desta vez os primeiros encontros deles foram um pouco fraquitos.
Um dos momentos mais marcantes desta obra, para mim, foi quando a mãe de Dylan se sacrificou. Lara Adrian já lhe tinha dado muito material emotivo, com todo aquele assunto da recidiva, mas o que acabou por selar a importância desta importância foi aquele momento em que Dylan se apercebe que a mãe morre… por ela. Foi lindo!
A escritora também tentou aumentar a carga emocional com as cicatrizes de Rio, mas como já nos tínhamos habituado a elas no volume anterior, este facto acabou por ficar bastante secundário.
Agora, só resta mesmo esperar pelo próximo…
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s